Encontre Livros em Promoção nos nossos Principais Parceiros

Livraria da Travessa  Livraria Cultura Livraria da Folha Submarino

Alguns segredos que Jane Austen não te contou - parte 4


Claire Tomalin, em seu livro JANE AUSTEN – A LIFE, disse que Jane Austen tinha ojeriza a internatos.

Aos 32 anos, a escritora escreveu, quando soube que duas de suas sobrinhas seriam enviadas a um internato contra a vontade: Dói-me na alma ver como rejeitam a uma criança de oito anos. Isso porque a própria Jane havia sido enviada a um internato aos 7 anos. (Ela tinha sido enviada junto com a sua irmã Cassandra.)

Os relatos da época contam que eram raros os internatos com condições agradáveis. A maioria, por questões financeiras, alimentava muito mal as suas internas e fornecia uma cama para cada duas moças.

Era comum meninas morrerem por doenças, o que fez alguns pais se arrependerem de ter enviado suas filhas a esses lugares. (Alguns desses arrependimentos vieram tarde demais...)

Tom Jones: Romance Realista

Henry Fielding

Ele foi um romancista inglês conhecido por seu humor vulgar e sua intrepidez satírica, e por criar o romance Tom Jones.
Além de suas conquistas literárias, ele teve um importante papel na história da aplicação da lei, tendo fundado (com seu meio-irmão John) o que alguns denominam o primeiro corpo policial da cidade de Londres, os Bow Street Runners, usando sua autoridade como magistrado. Sua irmã mais nova, Sarah, também se tornou uma escritora de sucesso.

No ano de 1846, Henry Fielding publica Tom Jones, romance que apresenta um menino enjeitado que é recolhido por um fidalgo. Ao crescer, Tom Jones torna-se um típico malandro, um rapaz de bom coração e índole, mas sem nenhum juízo. O jovem, ao deixar sua família, passa a percorrer as estradas inglesas em companhia de um barbeiro pernóstico, ora procurando e ora fugindo de sua amada Sofia. Fielding constrói um extraordinário painel dos costumes da época e cria uma infindável galeria de tipos pitorescos e representativos da sociedade inglesa daquele tempo.
Henry Fielding procura em Tom Jones representar tipos, ausentando de suas personagens o que possam ter de singular e estritamente individual (VASCONCELLOS, 2002, p. 97).

Até Mais, pessoal
Bruna Araújo

Este texto foi enviado por E-mail



Digite seu Email e Fique por Dentro de Tudo que Acontece Aqui, Posts, Promoções e Sorteios:


Minhas Impressões: Meia Noite Na Austenlândia

Hey leitores!

Cá estou eu, voltando de mais uma temporada na Austenlândia! Sim, desta vez o clima estava totalmente diferente, pude rever alguns de meus velhos conhecidos e me encantei pela nova hóspede e nossa heroína Charlotte Kinder!

Austenland, Jane Austen, Midnight On Austenland, Resenha, Shannon Hale,

VOCÊ SABE A DIFERENÇA??? PERSONAGENS DE AUSTEN OU DA DISNEY?

Jane Austen definiu um alto nível para personagens femininas de mentalidade independente com uma compreensão astuta das políticas sexuais, quando ela criou Elizabeth Bennet e outras protagonistas memoráveis.

Alguns segredos que Jane Austen não te contou – parte 3

Você já reparou que os relacionamentos mãe-filha, nos livros da Jane Austen, não são muito afetuosos?
claire tomalin
No livro de Claire Tomalin, ela conta que a distância emocional entre Jane e sua mãe foi evidente por toda a sua vida. Aliás, há uma frieza, não só em relação à mãe, como também em relação a ela mesma. Tomalin diz que, quando se lê as cartas de Jane, percebe-se seu espírito sensível e vivo, mas também sua couraça e uma certa postura defensiva. Ela não demonstra ternura por ela mesma, nem pelos demais. São cartas, diz a biógrafa, de uma pessoa que não abre o seu coração para ninguém e, na mulher adulta (…) se adivinha a menina que não sabia onde buscar o amor ou a segurança e que se refugiou atrás de uma couraça para se defender da rejeição.

Por que será que Jane Austen era assim?

Como o Blog Mudou Minha Vida?


Todos nós somos blogueiros e todos temos compromissos com o blog e compromissos fora do blog ao mesmo tempo, né? Então, conta pra gente como surgiu a ideia do seu blog, os motivos que levaram você a criá-lo, como é o seu dia-a-dia com o blog, como você faz para se conciliar o blog com as outras atividades, etc. Além disso, abra o seu coração: o que o blog representa para você atualmente? O blog mudou a sua vida?


13 Lições que aprendi sobre o amor com Jane Austen

Encontrei isso no Blog da +Noemi Lifeisabook  e tive que traduzir porque ameiiii.

Os livros de Jane Austen deram valiosas lições sobre o amor
a um grande número de leitores  por décadas.
Aqui estão algumas lições que eles nos ensinaram:

I. - Ame-se a si mesma e Sinta-se bem consigo mesma.



II. - A Pessoa Certa te ama, Mesmo que você não perceba.


III. - Uma Amizade Sólida é o Coração de toda grande História.

Alguns segredos que Jane Austen não te contou – parte 2


Hoje continuo te contando mais algumas curiosidades sobre a Jane Austen, todas retiradas do livro JANE AUSTEN – A Life, de Claire Tomalin:

  • Os Austen não tinham nenhum vínculo com a aristocracia, mas davam muita importância à escrita. Os pais de Jane queriam incentivar, com a escrita, a ideia de que a inteligência e a eloquência podiam valer mais que uma fortuna herdada.
  • O casal Austen também tinha um colégio para meninos. Os 4 irmãos da Jane frequentavam esse colégio. Jane observava todo o movimento da escola.
  • A senhora Austen estava sempre muito atarefada: além de cuidar da horta, das galinhas e da vaca, ainda devia supervisionar a preparação das comidas de muitos garotos famintos e ensinar os seus próprios filhos pequenos a ler.

Alguns segredos que Jane Austen não te contou - parte 1


A inglesa Claire Tomalin é considerada uma das melhores biógrafas de Jane Austen. Seu livro Jane Austen é de tamanha riqueza de detalhes, que merece entrar pra biblioteca de qualquer Janeite.

Ainda estou no começo do livro, mas, algumas informações sobre a nossa Jane, eu já compartilho com você:




Lady Charlotte and Mr. Philip ¤ Capítulo VI

***
Leia O Capítulo 5, 4, 3, 2, 1

Midford,  25 de Março de 1817

                Caro amigo George Huggins, é inicio de primavera, e como sempre haverá um baile aqui em Combe Down, espero que esteja presente, não haverá muitas pessoas, mas quero que conheça alguns vizinhos meus. Há uma certa Jovem a quem tenho dado minha atenção. Devo dizer, ela é realmente muito bela, e perspicaz, e toca piano lindamente, como anjos voando sobre as nuvens, ela é muito modesta, e tem invadido meus pensamentos. Mas devo confessar que não tinha intenção alguma de que isso acontecesse. Sabes muito bem meu amigo que deste o ocorrido com Louise eu... Eu não me permito tais frivolidades. E para deleite de minha mãe deixei parecer que vou cortejar esta bela jovem. Assim ela pode dar-me algum sossego. Mas receio que as coisas não sairão como planejei. Enfim, venha para o baile, será dia no 2 de abril, venha com tempo, conversaremos mais.


Att seu amigo Seth Philip.


(_.·´¯)*(¯`·._)

13 RAZÕES PELAS QUAIS VOCÊ NÃO IRIA QUERER VIVER NA ÉPOCA DE JANE AUSTEN

É uma ideia irresistível, não é, vestir-se como uma personagem de um romance da Jane Austen, participar de um bom jantar, ir à um baile e se apaixonar completamente pelo Mr. Darcy? (Uma ideia tão irresistível que é exatamente a premissa do filme "Austenlândia"). Jane Austen foi uma escritora cômica moderna; Ela não escreveu romances históricos, mas zombou da sociedade em que vivia. De fato, treze anos depois de ter escrito "A abadia de Northanger", Jane se irritou com o atraso da publicação e adicionou um pedido de desculpas dizendo que "lugares, maneiras, livros e opiniões" haviam mudado. 


Não Vamos Colocar Uma Meta!


Mr. Bingley Sincero



Cris e Greg?! Aliás Fitz e Charlie....



Digite seu Email e Fique por Dentro de Tudo que Acontece Aqui, Posts, Promoções e Sorteios:


Lady Charlotte and Mr. Philip ¤ Capítulo V

***

Leia o Capítulo IV

A sonata


Todos estavam indo para o jantar que o Sr. Philip os havia convidado e Charlote não parava se pensar porque desse convite e também o porquê dele escrever "minha " na carta.
Chegaram e foram para sala de estar Sr. Davies conversou avidamente com Sr.Philip,  mas ele queria mesmo conversar só com Srta. Davies.

Foram para jantar e Sr.Philip sentou -se ao lado de Charlotte e tentou conversar com ela,  mas ela estava tão intrigada em seus pensamentos que não percebeu ele estava tentando conversar com ela.
Mas...
Mas Sr. Phillip era insistente.

Lady Charlotte and Mr. Philip ¤ Capitulo IV

***
Leia o Capítulo 3

A Nota



Charlotte estava triste. Não sabia explicar exatamente o que lhe entristeceu, uma semana se passou desde o encontro com Sr. Phillip e ainda assim, ela sentia algo diferente em sua alma, algo que a entristecia. Queria acreditar que ele era o cavalheiro doce que conversou com ela sobre música, mas lembrou-se que naquele mesmo dia ele rejeitou a ideia de uma vida regada a romance.  Charlotte sabia que nem todos acreditavam em amor à primeira vista, ou em um amor eterno. Sabia que muitas jovens se tornavam solteironas e que muitas famílias viam o casamento como uma oportunidade de subir nos degraus da alta sociedade,  mas não!  Ela rejeitava a ideia de algo assim. Se ao menos pudesse conversar com alguém de verdade. Suspirou, frente à janela de seu quarto onde observava calmamente,  embora triste, um pássaro voltar ao ninho.

Mr. Darcy e o que ele Realmente Significa - Porque o Amamos.

“Jane Austen pode rotular seus personagens com termos como sensatez, orgulho, sensibilidade ou preconceito, mas eles não se limitam a essas características” 
- E.M. Forster

Se desejar ouvir essa Musica de Orgulho e Preconceito enquanto lê, clica Play

Desculpas adiantadas pelo Extenso texto. Mas digo: O tamanho do texto corresponde ao tamanho do nosso amor por Mr. Darcy.

Lady Susan - Filme


Love and Friendship (Titulo Original)

Aqui um pouco sobre o Livro feita pela +Maquiada na Livraria:

Lady Susan é uma viúva de 35 anos cuja ambição é arranjar um bom casamento para si mesma e outro para sua filha, Frederica. Considerada por todos bela, educada e sofisticada, Lady Susan esconde uma personalidade extremamente sagaz e manipuladora, que não hesita em fazer o necessário para chegar onde quer.
Lady Susan é escrito na forma epistolar, ou seja, na forma de cartas que os personagens trocam entre si. Esse foi um gênero narrativo com o qual Jane Austen brincou no início de sua carreira como escritora, mas que abandonou com a maturidade, muito provavelmente por conta da limitação de estar sempre presa a um ponto de vista.

Lady Charlotte and Mr. Philip ¤ Capítulo III

***

Leia o Capítulo 2

Remoendo Sentimentos Antigos



Depois que a carruagem do Sir. Davies partiu, Sr. Philip entrou em sua casa perplexo ainda com o que ouvira naquela noite. Srta Davies o havia intrigado, pois nunca antes uma jovem, sendo ainda tão jovem, tivera a coragem de contrariar suas idéias e ao mesmo tempo deixá - lo sem fala.
Foi então para o seu quarto e lá ficou pensando na Srta. Davies e em suas palavras...

- O que está acontecendo comigo? Há tempos que meus pensamentos não são invadidos por outra senhorita que não seja a... O que importa? É melhor eu parar de conjecturar em alta voz antes que Mason pense que estou maluco.

Como lidar com a solteirice?


Emma woodhouse em solteirice

O que eu mais admiro na Emma Woodhouse é a sua auto-estima. Vocês já perceberam que ela não tem conflitos com relação à sua aparência, aos seus modos, à sua vida? Ela é amada por todos - e sabe disso!

Nós sabemos que ela tem seu lado imaturo – tanto que, por causa disso, acabou magoando algumas pessoas -, mas ela se ama e ponto final.

Estou relendo Emma, no momento, e me divirto com ela. Uma passagem do livro, em especial, me chamou a atenção: o que Emma fala sobre “ser solteira”. Ela está conversando com Harriet, e essa diz que ser solteira “é pavoroso”. Ao que Emma responde, cheia de confiança (e preconceitos!):

Lady Charlotte and Mr. Philip ¤ Capitulo II

***
Leia o Capitulo I

A Primeira Impressão




A casa do Sr. Philip,  não era muito grande, tinha uma sala de desenho agradável com bastante luz do sol, e separada por um corredor um salão que comportava ao menos 10 casais em uma dança. Charlotte estava ansiosa, mal conseguia respirar.  Isso não era do seu feitio. Era sempre decidida, e contida, sabia sempre colocar seus pensamentos no lugar,  mas naquele momento preocupava-se com seu futuro.

Lady Charlotte and Mr. Philip ¤ Capítulo I

***

Charlotte


No interior de uma cidade de Londres havia uma dama chamada Charlotte . Ela morava com seus tios, pois era órfã, era sonhadora e determinada, mas sentia que vivia presa, e queria viver coisas novas. Por que,  Charlotte sabia que a vida tinha mais do que ela conhecia, ela queria ver o mundo a partir do seu ponto de vista,  queria conhecer por ela mesma a fim de tirar as suas próprias conclusões. Mas por não ter muitas oportunidades em sua vida, sentia ser um estorvo desejar mais do que deveria.

Orgulho e Preconceito Fim Alternativo


Mr. Darcy: Como vai esta noite, minha cara?
Elizabeth: Muito bem, mas eu gostaria que não me chamasse de 'minha cara'.
Mr. Darcy: Por que?
Elizabeth: Porque é como meu pai chama minha mãe quando ele está zangado com alguma coisa.
Mr. Darcy: E como eu devo chamá-la?
Elizabeth: Bem, deixe-me pensar. Lizzy, para todos os dias; Minha Pérola, para os domingos e Deusa Divina, mas somente em ocasiões especias.
Mr. Darcy: E como eu devo chamá-la quando estiver zangado? Mrs. Darcy?
Elizabeth: Não, não. Você pode me chamar de Mrs. Darcy quando você estiver completamente, perfeitamente e ardentemente feliz.
Mr. Darcy: Então, como vai esta noite,... Mrs. Darcy? Mrs. Darcy... Mrs. Darcy... Mrs. Darcy... Mrs. Darcy...




Digite seu Email e Fique por Dentro de Tudo que Acontece Aqui, Posts, Promoções e Sorteios:


Topo